CONDOMÍNIOS SUSTENTÁVEIS: DESAFIOS DA ESCASSEZ DOS RECURSOS NATURAIS

Ana Paula Nunes de Oliveira, Jairo Afonso Henkes

Resumo


Nos nossos dias, o desperdício aliado ao aumento na procura deste recurso, tornou-se num problema que requer a atenção de todos, devido à decrescente disponibilidade de água doce no nosso planeta. Deve se levar em conta que diariamente se usa água nas mais diversas atividades na nossa vida (higiene pessoal, alimentação, limpeza, na irrigação de jardins, na indústria e na agricultura), e nem sequer se tem a noção da sua importância, verifica-se todos tem muito o que aprender em relação à importância deste recurso para a sobrevivência das espécies. Portanto a sustentabilidade está na ordem do dia, cada dia mais a sociedade se mobiliza, e cada vez mais ações são realizadas para alcançar este objetivo. Os condomínios, locais de moradia de grande parte da população em centros urbanos, não podem ficar de fora. Mas não é fácil transformar um condomínio em exemplo de sustentabilidade, os síndicos que estão tentando sabem disso. Conscientizar os moradores, realizar mudanças nos hábitos e comportamentos do dia a dia pode ser difícil e demorado, mas é possível e necessário. O alto gasto com água é hoje um grande problema para os condomínios. Dependendo da estrutura do prédio e do número de moradores, o custo da água pode atingir o topo dos maiores gastos de todo o seu orçamento condominial. Este estudo foi elaborado no intuito de sugerir algumas medidas simples e de baixo custo que os condomínios podem adotar para economizar água, tais como; a implantação de arejadores nas torneiras, reuso da água da chuva, individualização da medição de consumo de água e conscientização ambiental dos condôminos. Os resultados esperados são uma economia significativa da taxa condominial, trazendo benefícios financeiros ao condomínio e condôminos, criando a perspectiva em paralelo de um condomínio mais sustentável.


Palavras-chave


Sustentabilidade Ambiental. Condomínio. Água. Economia.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v4e22015602-625

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.