DA FORMAÇÃO DO RESERVATÓRIO À CRIAÇÃO DA PLATAFORMA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS: 40 ANOS DE ESTRATÉGIAS AMBIENTAIS DA HIDRELÉTRICA BINACIONAL DE ITAIPU

Sigrid de Mendonça Andersen, Marcela Valles Lange

Resumo


Concebido como um empreendimento para a geração de energia elétrica no rio Paraná, a construção da Itaipu Binacional deu-se durante os governos militares do Brasil e do Paraguai, na década de 1970. O fechamento das comportas do canal de desvio, em 1982, gerou o grande lago de Itaipu, com 1.350 km² de extensão, causando enormes impactos ao meio físico, biótico e antrópico, alterando a geografia do oeste do Paraná e inundando grandes porções de matas nativas no território paraguaio. Ao longo desses 40 anos de existência, é possível contextualizar as estratégias ambientais desta empresa, identificando quatro fases distintas. O presente artigo descreve essas fases, que tiveram início em 1975 e se atualizam na recente criação da Plataforma Itaipu de Energias Renováveis, em 2008, que se destaca por desenvolver projetos de estímulo ao emprego de fontes de energias renováveis - solar, eólica, de biomassa e hidráulica. Hoje, a Plataforma e o Centro Internacional de Hidroinformática (CIH) são apoiados por uma cátedra da UNESCO sobre o Nexo Água e Energia no Programa de Pós Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento da Universidade Federal do Paraná.

Palavras-chave


Itaipu; Estratégia ambiental; Energias renováveis; Modelo de gestão.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v4e02015378-393

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.