AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE CONHECIMENTO DA OFIDIOFAUNA POR MORADORES RURAIS DO VALE DO RIO DOS SINOS, SUL DO BRASIL

Marilia Hendler Foesten, Alexandro Marques Tozetti, Jairo Afonso Henkes

Resumo


Este estudo avaliou o nível de conhecimento de uma população rural sobre a fauna de serpentes no sul do Brasil. Foram aplicados questionários à comunidade rural do município de Novo Hamburgo, totalizando 50 entrevistados, durante os meses de julho e setembro do ano de 2012. Durante a pesquisa foram testados conhecimentos dos moradores sobre as diferentes espécies de serpentes que ocorrem nos locais, e suas características biológicas bem como a habilidade desses moradores em reconhecê-las. Dentreos entrevistados a maioria possui forte ligação com o meio rural, baixa escolaridade e conhecimento deficiente sobre a fauna de serpentes. Apesar da alta riqueza de espécies de serpentes que ocorrem na região, cada morador soube citar em menos do que quatro espécies. Além disso, as mais citadas foram às peçonhentas (como a coral verdadeira, Micrurus sp, e a jararaca, Bothrops sp.), as espécies mais abundantes ou mais facilmente observáveis como a cobra-cipó (Philodryas olfersii). Além disso, a maioria dos entrevistados acredita que a ação correta ao encontrar uma serpente no campo é matá-la. Algumas serpentes não peçonhentas foram confundidas com peçonhentas como, por exemplo, Sybnomorphus ventrimaculatus e Philodryas patagoniensis, Xenodon merremi. Desse modo, os dados revelam que a população rural não possui uma boa compreensão sobre a diversidade importância dada serpentes sendo necessárias ações de educação ambiental a respeito da importância em se preservar esses animais.


Palavras-chave


Fauna de serpentes. Conhecimento popular. População rural.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v5e22016175-199

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.