CRITÉRIOS A SEREM ADOTADOS NA ADEQUAÇÃO DE ÁREAS PARA DEPÓSITOS DE LAMA DO BENEFICIAMENTO DE ROCHAS ORNAMENTAIS DO MUNICÍPIO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM (ES/BRASIL)

Regina Célia Espinosa Modolo, Horlandezan Belirdes Nippes Bragança, Mirian Loureiro Fialho, Elenize Ferreira Maciel

Resumo


Paralelamente ao crescimento da produção e exportação, cresce também a geração de resíduos provenientes dos processos de corte e polimento de rochas ornamentais. Com isso, gera-se a dificuldade da destinação adequada dos resíduos e os impactos ambientais decorridos pela sua disposição final. Este estudo foi realizado no município de Cachoeiro de Itapemirim – Estado do Espírito Santo, Brasil, e tem por objetivo caracterizar o resíduo de lama abrasiva, identificar e diagnosticar áreas aptas para a implantação de depósitos de resíduos provenientes do beneficiamento de rochas ornamentais desta região. O estudo consistiu em duas etapas. Na primeira etapa procedeu-se à caracterização do resíduo de lama granítica, proveniente de uma empresa local. Para a caracterização do resíduo foram coletadas oito amostras, sendo quatro delas, do setor de corte e quatro do setor de polimento. As análises de lixiviação e solubilização destes resíduos foram realizadas de acordo com as Normas Brasileiras 10.005 e 10.006 de 2004. A segunda etapa consistiu em identificar as áreas com adequabilidade para receber estes resíduos, utilizando-se a metodologia de superposição de mapas para a definição de locais adequados para a implantação dos depósitos. Desta forma foram identificadas e mapeadas através de diagnóstico e georreferenciamento, nove áreas aptas a serem usadas como depósitos de resíduo não perigoso de lama proveniente de processos de beneficiamento de rochas ornamentais com características graníticas. Com os resultados deste estudo, torna-se possível a correta disposição final deste resíduo e desta forma, mitigar os impactos negativos ao meio ambiente.


Palavras-chave


Resíduo de rochas ornamentais; áreas para depósito de resíduos; lama granítica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v6e32017181-200

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.