MODELO MATEMÁTICO PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL: O CASO DOS NÚCLEOS MARABÁ PIONEIRA E NOVA MARABÁ, MARABÁ - PA

Antonio Pereira Junior, Gabriela Pardinho Oliveira, Jessica Almeida Nicacio, Layla Jamim de Souza Farias, Sarah Maria de Souza Farias, Savannah Tamara Lemos da Costa

Resumo


A aplicação da Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) é eficiente na prevenção da degradação ambiental e na elevação da qualidade de vida. Essa pesquisa teve como objetivo calcular e comparar o Índice da Qualidade Ambiental (IQA) dos núcleos Marabá Pioneira e Nova Marabá, localizados na cidade de Marabá-PA.  A metodologia aplicada foi a observativa, sistemática, complementada com o levantamento de dados documentais, cujo recorte temporal situou-se entre 2007 e 2016. O uso da matriz de Leopold adaptada, e de modelo matemático para cálculo do IQA que, nessa pesquisa, foi constituído de três indicadores: saneamento básico, infraestrutura urbana e conforto ambiental, e nove variáveis ambientais: abastecimento de água, esgotamento sanitário, limpeza urbana, tratamento de resíduos, pavimentação das vias, iluminação pública, drenagem urbana, cobertura vegetal e emissão de ruídos, para tal, aplicou-se a estatística descritiva: média, desvio padrão, coeficiente de variação e correlação de Pearson, com o uso do software BioEstat 5.3. A análise dos dados obtidos indicou que o núcleo Nova Marabá apresenta maior IQA (43,6%) em relação a Marabá Pioneira (42,9%). Para a qualidade urbana ambiental satisfatória, ambos os núcleos necessitam ampliar a distribuição de água potável, criar uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), realizar o descarte ambientalmente adequado de resíduos sólidos, construir redes de drenagem pluvial, instalar iluminação nas vias públicas e aumentar as áreas verdes com o plantio de espécies endêmicas para melhorar a qualidade de vida da população.


Palavras-chave


Impactos Ambientais; Qualidade Ambiental; Matriz de Leopold.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v6e32017405-423

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.