QUALIDADE DA ÁGUA DE POÇOS ARTESIANOS EM UM ASSENTAMENTO DO MUNICÍPIO DE MUNDO NOVO, MATO GROSSO DO SUL

Merlene Gritzenco Grumicker, Valéria Flávia Batista-Silva, Dayani Bailly, Ana Francisca Gomes da Silva, Renata Ruaro, Alessandra Ribeiro de Moraes

Resumo


Considerando a necessidade de monitoramento das águas subterrâneas utilizadas para o consumo humano, este estudo avaliou a qualidade da água de poços artesianos rurais, localizados no Assentamento Pedro Ramalho, Mundo Novo, Mato Grosso do Sul. Amostras de água foram obtidas em janeiro/2012 e setembro/2013, em dois poços artesianos. Foram determinados parâmetros físico-químicos (alumínio, cobre, cor, cloreto, cromo total, ferro, fluoreto, manganês, nitrito, pH, sólidos dissolvidos totais, sulfato e zinco) e microbiológico (NMP de coliformes totais  e de coliformes termotolerantes, bactérias heterotróficas e Escherichia coli) para os dois poços. Os valores registrados para cada parâmetro foram confrontados com os limites estabelecidos pela legislação brasileira. Apenas a água do Poço 1 apresentou valores de pH inferiores ao estabelecido pela Portaria no 2914/2011 e valores de manganês acima do valor máximo permitido pela Resolução CONAMA nº 396. Os demais parâmetros atenderam os valores limites preconizados pelas legislações. Os resultados apresentados evidenciam a necessidade de monitoramento continuo da água dos poços artesianos do Assentamento Pedro Ramalho, uma vez que foram registradas irregularidades que inspiram preocupações à saúde pública dos moradores.


Palavras-chave


Recurso hídrico; Água subterrânea; Potabilidade.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e12018807-821

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.