CONFLITO SOCIOAMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS: ESTUDO DE CASO EM IGUATU, CEARÁ, BRASIL

Anny Kariny Feitosa, Luciana Turatti, Fernanda Pinheiro Brod, Júlia Elisabete Barden, Odorico Konrad

Resumo


A complexidade referente ao manejo dos resíduos sólidos urbanos tem se tornado um tema recorrente nos debates acadêmicos, políticos e da sociedade de um modo geral. Neste sentido, este artigo discute o conflito socioambiental proveniente da instalação de um lixão no município de Iguatu, no Estado do Ceará, em janeiro de 2017, e a mobilização da comunidade local na denúncia dos riscos ambientais provenientes dessa instalação. O método para desenvolvimento deste estudo constituiu-se de pesquisa bibliográfica, análise documental e realização de uma entrevista com o representante do Grupo Faça Parte, uma organização civil, que atua no referido município em defesa ao meio ambiente. Constata-se, para além da movimentação promovida por esses sujeitos na dimensão ambiental do conflito, a necessidade de mudança de hábitos cotidianos e políticos, públicos e privados, para que se possa garantir uma convivência benéfica entre sociedade e natureza, pautada pela ótica da produção e do consumo ambientalmente sustentáveis.

 


Palavras-chave


Consumo. Conflito ambiental. Meio ambiente.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e12018345-362

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.