CASCAS DO PROCESSAMENTO DE PALMITO PARA USO NA ALIMENTAÇÃO HUMANA: UMA ABORDAGEM SOCIOAMBIENTAL

Rafaely dos Santos Zenni, Cristiane Vieira Helm, Lorena Benathar Ballod Tavares

Resumo


Com o crescimento populacional e o desenvolvimento industrial e tecnológico, a produção de resíduos sólidos tem aumentado consideravelmente ao longo das últimas décadas, acentuando a discussão sobre sustentabilidade e a adequada destinação desses resíduos. Um dos setores responsáveis pela geração de grande quantidade de resíduos sólidos são as agroindústrias, tais como a de processamento de palmito, que é bastante difundida no Brasil e regiões tropicais. Para abordar essa problemática, este trabalho de revisão visa mostrar a importância da agroindústria de palmeiras comestíveis, seus impactos ambientais e sociais, e apresentar uma proposta de inovação para a indústria de alimentos funcionais, por meio de uma pesquisa descritiva qualitativa. A inovação apresentada nesse trabalho está relacionada com a aplicação da biotecnologia pela utilização das cascas ou bainhas medianas de palmeiras que são geradas durante a produção de palmito em conserva ácida, para o cultivo de fungos. Essas cascas quando empregadas como substrato para produção de cogumelos comestíveis poderá resultar em um alimento funcional, rico em nutrientes e com benefícios à saúde do consumidor, já que contêm moléculas bioativas, tais como as β-glucanas. A possibilidade de comercialização desse alimento, poderá resultar em benefícios socioambientais pelo aumento de renda dos envolvidos e pela redução de um passivo ambiental.


Palavras-chave


Alimento funcional. Biotecnologia. Cogumelos. Resíduos agroindustriais.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e22018276-299

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.