O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR ECOLOGICAMENTE CONSCIENTE AINDA PERSISTE? PROPOSIÇÃO A PARTIR DE UMA ESCALA VALIDADA

Laurindo Panucci-Filho, Ivete de Fátima Rossato, Jairo Afonso Henkes

Resumo


Este artigo teve como proposta investigar se o comportamento do consumidor ecologicamente consciente ainda persiste, em comparação com estudos anteriores. A proposição desta pesquisa foi intencional, obtendo 60 observações, mediante um questionário validado por Straughan e Roberts (1999). Analisou-se os dados com medidas de tendência central, Kruskal Wallis e Análise Fatorial de Componentes Principal. Dadas as limitações da pesquisa, os achados revelam que os respondentes não se diferenciam entre si, o gênero, a idade e a renda, não foram bons preditores para o comportamento do consumidor ecologicamente consciente e ainda persiste um conservadorismo pertinente aos aspectos econômicos. Em função das técnicas multivariadas de análise, não é possível responder com certeza a indagação motivadora da pesquisa, que perguntou se a consciência ecológica do consumidor mudou, mas as medidas de tendência central revelam que os consumidores têm clara noção sobre o que lhes foi perguntado e as médias das respostas concentraram-se em uma das extremidades da escala, fato que revela um posicionamento consciente dos respondentes em favor das causas ecológicas.


Palavras-chave


Comportamento do consumidor. Consumidor consciente. Consumidor ecológico. Consumo responsável.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e22018586-612

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.