PERCEPÇÃO DA COMUNIDADE AO ATENDIMENTO A FAUNA OLEADA EM CASOS DE DESASTRES NO LITORAL DO PARANÁ, SUL DO BRASIL

Letícia Koproski, Leonardo José Duda, Camila Souza Almeida dos Santos, Eduardo Gomes Pinheiro, Danyelle Stringari

Resumo


A partir da percepção dos brigadistas frente a abordagem descerimoniosa de 5000 pessoas durante a Operação Verão Paraná 2017/2018, esse estudo avaliou a percepção da comunidade sobreo resgate de fauna e os desastres. Pode-se inferir que metade da comunidade tem alguma percepção sobre o risco de desastres no litoral do Paraná e até 75% relaciona esses eventos a derrames de óleo, porém a maioria não percebe a ligação entre a atividade portuária e seu impacto sobre o ecossistema de praias. A maioria tem empatia pelo atendimento da fauna em desastres. No entanto, não compreende a fauna de maneira global atingida. Entre 50 e 75% da comunidade se preocupa com a proteção do litoral. Ainda, a maioria valoriza a existência de uma brigada formada por voluntários, porém somente até 25% tem interesse em ser voluntário. Em contraponto, a maioria apoiaria o projeto por meio de redes sociais. O atendimento a fauna em casos de desastres é socialmente valorizado e projetos de atendimento de animais oleados precisam ser multiplicados para o atendimento dos eventos. A inclusão do voluntariado, atuando em atividades compatíveis com suas capacitações, juntamente e orientada pela equipe técnica, pode ser estimulada a partir dessa empatia apresentada pela comunidade.

 


Palavras-chave


Resgate de fauna. Despetrolização. Derramamento de óleo. Atividade portuária. Complexo Estuarino de Paranaguá.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e02018350-366

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.