IMPACTO DE DIFERENTES SISTEMAS AGRÍCOLAS E FLORESTAL NA QUALIDADE QUÍMICA E BIOLÓGICA DO SOLO DE UMA PROPRIEDADE RURAL

Giuvana Lazzaretti, Marcia Matsuoka, Ivana Bettio, Sandi Siqueira Paveglio, Juliana Barden Shallemberger, Lucindo Somavilla

Resumo


O processo de modernização agrícola aumentou a produtividade das lavouras, porém levou a indesejáveis impactos ambientais. O solo quando manejado, sofre alterações nas características físicas, químicas e biológicas, muitas vezes provocando perdas de qualidade e afetando uma sustentabilidade tanto econômica quanto ambiental da atividade agrícola. Este trabalho tem por objetivo a avaliação das mudanças ocorridas nas características químicas e biológicas de um solo sob diferentes sistemas de cultivos. O estudo foi realizado em uma propriedade rural, localizada no município de Liberato Salzano/RS. Foram coletas amostras de solos, em áreas com cultivos de espécies agrícolas (soja, videira e fumo), florestal (eucalipto), pastagens e mata nativa, como referência das condições naturais do solo. Foi determinado o carbono da biomassa microbiana, respiração basal, respiração induzida por substrato, atividade da enzima urease e análise química do solo. As características químicas do solo foram influenciadas pelos sistemas de cultivo do solo, com redução do carbono orgânico e de todos os macronutrientes, com exceção do P, e aumento nos teores de Cu em relação à área nativa. As características biológicas mostraram-se mais sensíveis em avaliar as alterações ocorridas em relação a degradação do solo através do cultivo do que as características químicas. Assim, o conhecimento e monitoramento destas é o primeiro passo para o entendimento dos processos que ocorrem no solo em busca da manutenção da sua qualidade. De forma geral, observou-se que os sistemas de cultivo causaram alterações nas características do solo quando comparado com o solo da mata nativa com reduções na sua qualidade química e biológica.


Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v8e42019330-350

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.