REMOÇÃO DE CROMO POR BIOSSÓLIDO: TRATAMENTO DE EFLUENTE DE CURTUME

Guilherme Junqueira Jeronimo, Giselle Marcelino de Lima, Alexandre de Faria Lima, Andréia Marega Luz, Deusmaque Carneiro Ferreira

Resumo


O metal cromo, presente em rejeitos das indústrias de couro, quando descartado de modo inadequado, ocasiona severos danos à saúde humana e ao equilíbrio ambiental. O objetivo do presente estudo foi otimizar o processo de biossorção de cromo de resíduos de curtume empregando o biossólido em sistema de fluxo contínuo. O biossólido de uma estação de tratamento de esgoto foi empregado como material biossorvente em sistema de filtros com fluxo contínuo. As análises de remoção de cromo foram realizadas em diferentes variações de pH, massa do biossorvente e tempo de processamento. A otimização do processo ocorreu em pH 4,30, tempo superior a 2 horas, 2,93 gramas de biossólido com remoção de cromo superior a 90% em sistema de fluxo contínuo. As isotermas de Freundlich revelaram adequação do processo à adsorção física. Trata-se, portanto, de um método alternativo, renovável, de fácil aplicação, eficiente, podendo ser empregado juntamente com os processos clássicos em tratamento de efluente de curtume.

Palavras-chave


Biossorção, Metal tóxico, Filtração, Fluxo contínuo.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v8e12019730-752

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.