DIAGNÓSTICO DA GESTÃO DE RESÍDUOS E EFLUENTES EM POSTOS DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS NO MUNICÍPIO DE ARAGUATINS – TO

Poliane Cardoso da Silva, Eva Adriana Gonçalves de Oliveira, Samuel de Deus da Silva

Resumo


Vive-se uma nova era onde é crescente o desafio em conciliar consumismo e preservação dos recursos naturais garantindo o desenvolvimento sustentável. Neste contexto, a tendência dos diversos seguimentos empresariais é de contribuir na busca por este equilíbrio, se adequando à legislação vigente e valendo-se de políticas públicas capazes de viabilizar mecanismos de efetiva gestão ambiental. Os empreendimentos potencialmente poluidores, que inclui os postos de abastecimento, têm sido cobrados tanto pelos órgãos de fiscalização ambiental quanto pela própria sociedade, por serem causadores de impactos ambientais. Buscando contribuir com a busca de sistemas adequados de gestão ambiental em postos de abastecimento de combustíveis, o presente estudo apresenta um diagnóstico da gestão dos resíduos e efluentes em tais empreendimentos localizados no município de Araguatins – TO. Através da aplicação de questionários a funcionários e gestores, bem como, entrevista junto ao órgão ambiental competente, o Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), o estudo foi complementado com a distribuição de folders educativos em cada posto, estes abordando informações básicas acerca dos problemas ambientais oriundos da má gestão dos resíduos em postos de abastecimento. Durante estas etapas, verificou-se de que forma ocorre interação dos empreendimentos com o meio ambiente, quais as medidas de gestão de resíduos são tomadas atualmente, e como se dá a atuação do órgão ambiental órgão ambiental competente frente ao monitoramento e fiscalização ambiental nestes empreendimentos.  Com os resultados obtidos obteve-se que os estabelecimentos apresentam falhas na gestão dos resíduos e efluentes, apesar de estarem licenciados, uma parte encontra-se em desacordo com o exigido.


Palavras-chave


desenvolvimento sustentável;ambiente ecologicamente equilibrado; gestão ambiental

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v8e12019324-339

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.