QUALIDADE DA ÁGUA NO TRECHO SUPERIOR DA BACIA DO RIO PIRAPÓ: UM RIO URBANO NO SUL DO BRASIL

Carlos Alberto Cury Harfuch, Felipe Rafael Oliveira, Bianca Ramos de Meira, Gilsemara dos Santos Cagni, Rosilene Felizardo de Souza, Maria de Los Angeles Perez Lizama, Luiz Felipe Machado Velho

Resumo


As bacias hidrográficas no Brasil têm sido fortemente degradadas pelo crescimento desordenado das cidades, que somadas ao crescimento populacional potencializam os impactos existentes nesses ambientes. Desse modo, considerando os impactos ambientais causados pela urbanização e atividades agropecuárias sobre os recursos hídricos, este estudo teve por objetivo avaliar a qualidade ambiental de corpos hídricos da Bacia do rio Pirapó, em dois períodos hidrológicos distintos. Foram coletadas amostras de água em 14 pontos ao longo do rio Pirapó e seus principais tributários, localizados no estado do Paraná, Brasil. Os resultados dos parâmetros analisados apresentaram valores dentro da legislação para recursos hídricos, nas diferentes classes analisadas. Em relação ao índice de qualidade de água (IQA), os resultados mostram que a maioria dos pontos, em ambos os períodos, estão dentro da faixa de qualidade considerada razoável ou boa. Para o Índice de Estado Trófico (IET), devido aos valores pouco variáveis, todos os ambientes analisados foram classificados como mesotróficos. Portanto, os resultados obtidos nesse estudo apontam que a qualidade da água do rio Pirapó, bem como de seus tributários, pode ser, de modo geral, considerada regular. Assim, torna-se essencial um incremento no número de estudos de monitoramento em relação ao impacto em rios, riachos e córregos urbanos dessa bacia, uma vez que esse importante corpo de água abastece inúmeros municípios da região Norte do Estado do Paraná.


Palavras-chave


Ambientes lóticos. Parâmetros limnológicos. Poluição Ambiental

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v8e22019513-538

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.