DIVERSIDADE DE ESPÉCIES ARBÓREAS EM CANTEIROS ARTIFICIAIS E NA-TURAIS DE UMA CIDADE PLANEJADA

Renato Torres Pinheiro, Dianes Gomes Marcelino, Dieyson Rodrigues de Moura

Resumo


Poucas cidades brasileiras possuem um manejo adequado da arborização que compõe seus espaços verdes. É indiscutível a importância da arborização no meio urbano, uma vez que esta desempenha inúmeros serviços ambientais. Entretanto, para garantir a manutenção destes serviços ambientais é essencial conhecer a vegetação natural que compõe a esturutura urbana. Neste sentido, este trabalho analisou como o paisagismo influência na riqueza, composição e distribuição das comunidades de árvores de canteiros naturais e artificiais da cidade de Palmas/TO. Foram amostrados 3.970 indívíduos arbóreos pertecentes a 112 espécies. Canteiros com tratamento paisagístico apresentaram menor número de indivíduos arbóreos, porém uma maior riqueza específica e uma diversidade de espécies significativamente mais elevada que os canteiros sem paisagismo e desmatados. Entretanto, nos canteiros que não sofreram intervenção paisagística e nos desmatados, houve um predomínio de espécies autóctones, típicas do cerrado local. Nossos dados demonstram que a intervenção no ambiente urbano com a construção de canteiros provocam alterações na riqueza, diversidade e composição de espécies arbóreas. Entender esses padrões é vital para garantir a correta tomada de decisão nos projetos de arborização, garantindo assim a qualidade dos serviços ambientais prestados pelas árvores e a manutenção dos processos ecológicos no meio urbano.

 


Palavras-chave


Arborização urbana; Planejamento urbano; Arborização de vias; Ecologia urbana; Urbanização.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e32018236-258

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.