GEOPROCESSAMENTO E ASPECTOS SOCIOAMBENTAIS DO MONUMENTO NATURAL GROTA DO ANGICO EM SERGIPE, BRASIL

Rodrigus Oliveira Feitosa, Roberto Rodrigues de Souza, Maria do Socorro Ferreira da Silva

Resumo


A criação, gestão e implementação de Unidades de Conservação (UC) é uma estratégia fundamental para o planejamento territorial. Entretanto, implantar esses territórios legalmente protegidos gera conflitos socioeconômicos, muitas vezes maiores ou mais difíceis de serem solucionados que os próprios problemas ambientais. Para auxiliar a transpor entraves que se apresentam nesse processo, pode-se empregar ferramentas da Tecnologia da Informação, como os Sistemas de Informações Geográficas (SIG), que, a partir de produtos de sensoriamento remoto e técnicas de geoprocessamento, possibilitam subsidiar ações de planejamento, gestão e monitoramento das UC de forma mais ágil e dinâmica. Nesse contexto, esta pesquisa teve como objetivo analisar a aplicabilidade do uso do geoprocessamento como subsídio ao planejamento ambiental em UC de Proteção Integral. Para tanto, foram empregadas pesquisa bibliográfica e documental, entrevistas com roteiro semiestruturado e pesquisa de campo. Na elaboração e organização dos mapas digitais foram empregados os softwares QuantumGIS e Global Mapper. Com os resultados obtidos, se verificou que Sergipe possui uma boa base de dados georreferenciados, todavia carece de correções dos dados e constante atualização. Além do que, a escassez de profissionais empregados nas ações diretas de gestão e monitoramento das UC no Estado, enfraquece os objetivos de proteção ambiental, diante de pressões antrópicas. Concluiu-se que o emprego de um atlas digital fornece uma importante fonte de informações para a elaboração do planejamento ambiental, além de racionalizar recursos humanos, porém a falta de profissionais capacitados, custos de aquisição de produtos de sensoriamento remoto e informações biofísicas pouco confiáveis são obstáculos a serem transpostos.

 

 


Palavras-chave


Geoprocessamento. Planejamento Ambiental. Unidades de Conservação.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v7e42018341-355

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.