CONSTRUÇÃO E EFICIÊNCIA DE UM FOTORREATOR DE RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA DE BAIXO CUSTO PARA DESINFECÇÃO DE ÁGUA

Darles Luan Schneider Follmer, Ramiro Pereira Bisognin, Eduardo Lorensi de Souza, Márlon de Castro Vasconcelos, Divanilde Guerra, Danni Maisa da Silva

Resumo


A água é um bem imprescindível para sobrevivência e desenvolvimento dos seres vivos, e sua qualidade pode ser diretamente relacionada à saúde daqueles que a consomem ou utilizam. Nesse sentido, para minimizar os riscos de agentes biológicos presentes nas águas, a radiação ultravioleta (UV-C, 254 nm) é uma importante alternativa de desinfecção, pois inativa o material genético dos microrganismos sem o uso de oxidantes químicos. Portanto, no presente estudo objetivou-se a construção de um fotorreator UV de baixo custo e a análise de sua eficiência na desinfecção de água. Inicialmente, foram pesquisados sistemas comerciais que empregam a radiação UV para finalidade proposta. Em seguida procedeu-se a construção do fotorreator com materiais alternativos e a análise da sua eficiência na desinfecção de três amostras de efluente sanitário tratado, provenientes da região metropolitana de Porto Alegre - RS. A eficiência de desinfecção foi avaliada por meio da comparação da contagem de microrganismos crescidos em placas de Petri contendo ágar MacConkey, durante 48 h a 36 ºC, após operação do fotorreator em batelada, em diferentes tempos: 0, 3, 6, 9, 12, 15, 18 e 21 minutos, além de um controle com a água da companhia de abastecimento. Os resultados foram avaliados por ANOVA, seguido de teste Tukey ao nível de 5% de probabilidade.  Como resultados, tem-se a montagem do fotorreator de 15 W em PVC, de 1,6 L, ao custo total de R$ 137,88, ou seja, equivalente a 53,05% do custo de outro fotorreator disponível via e-commerce, de dimensões inferiores. As análises das amostras do efluente, nos tempos de detenção descritos, indicaram que não houve diferença estatística entre as UFC mL-1 da água fornecida pela companhia de abastecimento e o efluente após desinfecção por 9 minutos no fotorreator. Também se verificou redução significativa no número de colônias nos 3 primeiros minutos de operação do reator. Contudo, pode-se inferir que o melhor tempo de detenção hidráulica foi de 15 minutos, tendo em vista a maior redução da concentração de UFC mL-1 que foi de 99,25% em relação ao efluente estudado. Portanto, conclui-se que o sistema pode ser empregado na desinfecção de águas residuárias ou como solução para regiões onde não há tratamento adequado.

Palavras-chave


Radiação UV; Desinfecção; Redução de custos; Tratamento de água e efluentes.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v8e42019165-181

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.