ANÁLISE DOS RISCOS ECONÔMICOS, SOCIAIS E AMBIENTAIS NA EXPLORAÇÃO DO GÁS DE XISTO POR “FRACKING” NO MUNICÍPIO DE PAPANDUVA – SC

Gabriela Carpejani, José Baltazar Salgueirinho Osório de Andrade Guerra, Jacir Leonir Casagrande

Resumo


A exploração do Xisto, independentemente do método a ser utilizado em sua extração traz impactos negativos de ordem econômica, social e ambiental. Este artigo busca o embasamento teórico e a justificativa bibliográfica de que a exploração por FRAC ou Fracking para extração do gás de Xisto como fonte de energia é um retrocesso. Realiza-se uma discussão entre a literatura e as consequências deste método de extração para o Município de Papanduva, localizado no Estado de Santa Catarina – Brasil, nas esferas econômico, social e ambiental. Como resultado, entende-se que o processo de extração é um retrocesso e vai contra aos investimentos em tecnologia limpas e renováveis e que trará um passivo de legado sem precedentes.

 

Palavras-chave: Exploração do Gás de Xisto. Fracking. Impactos Negativos. Tripé da Sustentabilidade. Energia.


Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/rgsa.v9e02020147-164

R. gest. sust. ambient., Florianópolis.Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2238-8753 Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.