CONSERVAÇÃO DE METAIS PROVENIENTES DE MEIOS HÚMIDOS: OS METAIS ARQUEOLÓGICOS DA GRUTA DO BACELINHO

Alexandra Figueiredo, Cláudio Monteiro, Deisi Farias

Resumo


A gruta do Bacelinho localiza-se no centro de Portugal, concelho de Alvaiázere, distrito de Leiria. Trata-se de uma cavidade aparentemente semiartificial, aberta no período clássico para a extração de minério e apresentando ocupações esporádicas ao longo dos tempos. Nas intervenções arqueológicas levadas a cabo, nos trabalhos de investigação coordenados pelo Laboratório de Arqueologia e Conservação do Património Subaquático, do Instituto Politécnico de Tomar, entre os inúmeros dados registados, foram exumados vários objetos metálicos.

O fato desta cavidade ser extremamente húmida e possuir características ambientais muito específicas, que se refletiram na conservação dos objetos arqueológicos, levantou uma série de questões relativas ao processo de degradação dos metais e a sua integração metodológica no âmbito da arqueologia subaquática.

Este artigo pretende expor resumidamente estas singularidades, tentando relaciona-las com o ambiente envolvente e o contexto arqueológico.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v1e1201358-62

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.