Fronteiras de uma discussão: arqueologia histórica de uma fábrica de louças

Martha Helena Loeblein Becker Morales

Resumo


Em voga nos debates acadêmicos dos últimos anos, a interdisciplinaridade exige um esforço de reflexão considerável ao pesquisador cujo trabalho almeja tal classificação. A arqueologia histórica, área que frequentemente reivindica sua natureza híbrida, oferece um amplo leque de possibilidades ao desenvolvimento de temas do passado recente. Contudo, ainda são perceptíveis as limitações impostas ao diálogo em estudos ligados, por exemplo, à imigração e à industrialização, como se pretende demonstrar no caso da Fábrica de Louças Colombo. O objetivo deste trabalho é expor, além dos resultados obtidos na pesquisa, as nuances e os entraves que se apresentaram no decorrer do projeto, ilustrando o quanto a interdisciplinaridade é teorizada e incentivada, mas nem sempre aceita em sua totalidade. Acredito que, em especial no que tange ao século XX, a intersecção das disciplinas não seja apenas bem vinda, como necessária para fornecer um quadro que contemple o passado sem subestimar sua complexidade e sem ignorar suas ambiguidades.

Palavras-chave


Interdisciplinaridade, Arqueologia histórica, Louça.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v1e32014111-121

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.