Quadro antigo do cemitério ecumênico São Francisco de Paula: história e memória

Bruna Frio Costa, Carla Rodrigues Gastaud

Resumo


O objetivo principal deste trabalho é discutir a relação entre história e memória, tendo como pano de fundo a relação de Ricardo Rojas, ex-morador e ex-capataz, com o Quadro Antigo do Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula na cidade de Pelotas (RS). Portelli afirma que ao pesquisarmos um lugar, pesquisamos também sobre os que o criaram e que ali se formaram e sobre as circunstâncias particulares desse lugar e dessas pessoas. Assim, ao pesquisarmos o Quadro Antigo do Cemitério pesquisamos também o senhor Ricardo e sua família, que viveram e trabalharam no local entre 1914 e 2009. A história oral é uma metodologia que busca, através de suas fontes, um caminho para a produção de versões e interpretações sobre a história em suas múltiplas dimensões. Afinal, segundo Alberti a história oral permite ao pesquisador recuperar aquilo que não foi encontrado em documentos de outra natureza. No caso do Quadro Antigo do Cemitério os registros encontrados são pobres, existem apenas documentos administrativos da mantenedora, o que torna ainda mais importantes os relatos do senhor Ricardo.


Palavras-chave


Quadro Antigo do Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula; Memória; História.

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v2e1201428-45

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.