A educação patrimonial por meio das edificações históricas de Ribeirão Preto

Almir de Paula e Silva

Resumo


O trabalho pretende contribuir na discussão sobre a preservação do patrimônio cultural em Ribeirão Preto (SP) e a interação com a educação básica. Desde a construção dos casarões, prédios públicos, clubes, teatros e hotéis em fins do século XIX e início XX, no auge da produção cafeeira até os dias atuais, o município ostenta como símbolos de prosperidade que foram utilizados na propaganda de uma cidade luz, mas que na verdade se reduzia ao entorno da Praça XV de Novembro e como a população se relacionou com essa cidade edificada aos moldes europeus, que ao mesmo tempo privava seus habitantes de usufruir desses bens materiais. O grande empecilho na preservação desse patrimônio consiste justamente na não identificação da população com esses bens e locais, que chamamos de lugares de memória. Busca-se inserir essa discussão na educação básica por meio de um projeto de educação patrimonial na rede pública, buscando a valorização dos bens culturais e dos lugares de memória, junto aos estudantes do ensino fundamental.


Palavras-chave


Educação patrimonial; Prática educativa; Ribeirão Preto (SP).

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v2e2201520-33

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Revista Memorare

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.