Registro do patrimônio cultural imaterial e povos indígenas no Brasil: crítica sobre a naturalização da noção de patrimônio cultural entre povos indígenas e outras considerações

Leandro Ribeiro do Amaral

Resumo


Discutirei neste trabalho o registro de bens culturais de natureza imaterial como instrumento de patrimonialização de práticas e saberes de povos indígenas no Brasil. Para tanto, parte-se de uma perspectiva segundo a qual as noções de “bem cultural” e “patrimônio”, estruturadoras da política em análise, não são categorias dadas para povos indígenas de forma generalizada. Isto não quer dizer que, por outro lado, povos indígenas que mantêm contato com a política patrimonial brasileira não se apropriam das suas noções, traduzindo-as e introduzindo-as no seu entendimento cultural. Finalmente, buscarei apresentar a noção de patrimônio cultural imaterial e problematizar algumas das implicações do instrumento do Registro e da política por ele ensejada em relação a povos indígenas no Brasil.

Palavras-chave


Patrimônio Cultural; Povos Indígenas; Registro.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v4e120175-18

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Leandro Ribeiro do Amaral

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.