Autonomia ou barbárie: memórias de pipas, protestos e livros

Rogério Santos da Costa

Resumo


Neste artigo o autor faz uma narrativa da sua história de vida fundamentado em sua experiência pessoal com a ditadura militar no Brasil instaurada com o Golpe de Estado de 1964, seguindo com sua percepção sobre o desdobramento no período democrático posterior até o rondar de 2016, quando ocorre um novo Golpe, desta vez de origem parlamentar e jurídico-midiática. O fio condutor é a tentativa de estabelecer os elementos presentes na sociedade brasileira no novo milênio que possam ser apontados como legados do período militar. Considera-se que os movimentos de contestação à diminuição das desigualdades e da igualdade de gênero, respectivamente o egoísmo e o machismo, em parte herdados do Brasil autoritário e escravagista, respondam por alguns dos conflitos contemporâneos no país. Por fim, indica-se que estes conflitos poderão ter encaminhamento de resolução rumo ao equilíbrio na sociedade quando a autonomia for colocada como símbolo maior da Democracia.

Palavras-chave


Golpe de Estado no Brasil; Democracia; Autonomia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v4e32017110-128

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Rogério Santos da Costa Santos da Costa

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.