Dentes, ossos e suas formas: lições aprendidas sobre os construtores de sambaquis

Sheila Mendonça de Souza

Resumo


A morfologia estuda as formas e dimensões, normais e não normais, dos seres vivos, campo da ciência que tem dado contribuição importante para a arqueologia. Os conhecimentos morfológicos sobre os grupos humanos que construíam sambaquis, ainda que datando de poucas décadas, vem contribuindo com o conhecimento sobre como eram e viviam aqueles grupos. Esta contribuição não se resumiu à descrição dos seus corpos a partir dos ossos, mas à propõe hipóteses e interpretações sobre sua vida, saúde, comportamentos, dieta, atividades físicas, semelhanças e diferenças entre os grupos, e assim por diante. Uma revisão rápida na literatura permite conhecer o crescimento das contribuições no campo, as mudanças e a riqueza das interpretações morfológicas e como estas acompanham o progresso das interpretações arqueológicas sobre os sítios denominados sambaquis e os povos que construíram tais testemunhos arqueológicos na costa do Brasil.

Palavras-chave


Bioarqueologia; Sambaquis; Paleopatologia

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v5e12018217-246

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Sheila Mendonça de Souza

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.