O processamento anafórico: um experimento sobre a resolução de ambigüidades em anáforas pronominais

Cassiano Ricardo Haag, Gabriel de Ávilla Othero

Resumo


Na busca pela construção de sentidos do texto, vários fatores entram em jogo (desde conhecimentos lingüísticos estritos a conhecimentos de mundo do interlocutor). Um fator coesivo que auxilia o interlocutor na compreensão do texto diz respeito à ligação ou “mostração” entre a informação nova e a dada. Esse processo é o da anáfora. Neste artigo, iremos estudar o processamento da anáfora pronominal e tentar entender como se dá esse processamento na mente humana. Através de um teste aplicado a trinta falantes nativos do português, verificamos se nossa tendência é realizar o processamento anafórico imediatamente, ligando o termo anafórico ao seu antecedente mais próximo, ou se ligamos o termo anafórico ao tópico da sentença. Como demonstramos na parte final do artigo, há ainda outros fatores que entram em jogo na escolha da ligação entre termo anafórico e seu antecedente.

Palavras-chave


Anáfora; Lingüística textual; Correferência

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.