QUEBRA DAS MÁXIMAS CONVERSACIONAIS NAS TIRINHAS DO ARMANDINHO SOB A PERSPECTIVA DA SOBREPOSIÇÃO TIPOLÓGICA: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA PARA O ENSINO EXPRESSIVO DA LÍNGUA

Silvia Adélia Henrique Guimarães, Hilma Ribeiro de Mendonça Ferreira

Resumo


O objetivo central da investigação é contribuir para os estudos do texto, com pauta: 1) na teoria dos gêneros como práticas sociais; 2) na sobreposição tipológica possível nos gêneros; e 3) na relação entre gênero e intencionalidade, pelo viés da Pragmática. Especificamente, o artigo investiga como quatro alunos do nono ano entenderiam a quebra de máximas conversacionais como recurso expressivo para a geração de humor; e, ainda, se perceberiam a carga argumentativa desses diálogos de base narrativa – análise realizada em três tirinhas do Armandinho. Com base no paradigma interpretativista, procede à análise, instrumentalizado pelos atos da fala e pela quebra da máxima conversacional de modo. Os resultados apontam que os estudantes compreendem que a quebra da máxima de modo constrói o humor das tirinhas; mas não demonstram compreender que o fenômeno linguístico serve, também, à argumentatividade implicada nas falas.

Palavras-chave


Sobreposição tipológica; Máxima conversacional; Gênero; Ensino

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.