NACIONALIDADE NA IMPRENSA E NO RÁDIO: UMA POLÍTICA DE LÍNGUAS NA ERA VARGAS

Andréa Franciéle Weber

Resumo


Este artigo estuda a regulação da nacionalidade no rádio e nos jornais, buscando interpretar seu efeito sobre a política de línguas nesses veículos. Para tanto, ancora-se na Análise de Discurso de linha francesa e na História das Ideias Linguísticas no Brasil. O corpus de análise envolve a legislação para os meios de comunicação promulgada durante a Era Vargas (1930-1945). O trabalho discute como a política para as nacionalidades resultou em uma política para as línguas na imprensa escrita e no rádio, ao favorecer ou limitar o direito à voz de brasileiros natos, brasileiros naturalizados e estrangeiros. Mostra, também, que a regulação do direito à palavra constituiu uma tentativa de controle da produção do discurso, provocando a interdição do estrangeiro nesses veículos.


Palavras-chave


História das ideias linguísticas; Análise do Discurso; Política de línguas; Mídia.

Texto completo:

PDF


Ling. disc. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 1982-4017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.