Direitos humanos como ponto de partida ou união? Do conflito teórico à superação das dificuldades da teoria

Diego Henrique Schuster

Resumo


O presente trabalho analisa a relação entre o debate universalismo e relativismo cultural e algumas dificuldades envolvendo o tema dos direitos humanos. Para tanto, investiga as diferenças e semelhanças entre os dois movimentos. Em seguida, examina a importância da fundamentação ética dos direitos humanos sob a perspectiva do uso de tais conceitos. Por último, propõe uma reflexão sobre a vinculação do discurso dos direitos humanos a pressupostos individualistas e a necessidade de se suspender o conflito teórico, a fim de permitir o acesso de todas as culturas, bem assim ao debate de questões deveras importante, atualmente diluídas no quadro geral de um discurso hegemogeizante e inferiorizante, a partir de uma concepção multicultural de direitos humanos. A pesquisa demonstra que debate universalismo e relativismo cultural representa uma oportunidade perdida de se contribuir para uma concepção emancipatória de direitos humanos, em razão de uma aceitação demasiadamente fácil e acrítica de tais conceitos pela doutrina.

Palavras-chave


Direitos Humanos; Debate universalismo e relativismo cultural; Fundamentação ética; Multiculturalismo

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/ufd.v7e122016115-138

Incluir comentário

Direitos autorais 2018 Unisul de Fato e de Direito: revista jurídica da Universidade do Sul de Santa Catarina

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Unisul fato e dir. Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-601X