Viagem e memória em Veneza: o imaginário da cidade entre a água e os sonhos

Valéria Cristina Pereira da Silva

Resumo


O presente artigo busca compreender a cidade imaginária através do simbolismo da água. A imagem de Veneza é analisada a partir da fenomenologia da imaginação unida à experiência, a percepção e o contato com a própria cidade. A Veneza poética, simbólica, transcendental, arquetípica presente na consciência dos poetas da forma e das palavras, dos sons, das cores e todas artes sinestésicas, é aqui também reatualizada em forma de narrativa e memória, através da experiência da viagem, do olhar estrangeiro e do contato afetivo com essa bela e emblemática cidade azul.

Palavras-chave


Cidade; Imaginário; Água; Onirismo; Simbolismo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.19177/memorare.v4e2-II2017187-208

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Valéria Cristina Pereira da Silva

Revista Memorare, Universidade do Sul de Santa Catarina, Santa Catarina, ISSN 2358-0593.

  Licença Creative Commons
Revista Memorare de Revista Memorare está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.